NOVO GOVERNO, ESTÁ NA HORA DE INVESTIR?

oficialO que podemos esperar do novo ambiente econômico

Professor, está na hora de investir? Esta é uma pergunta que tenho escutado várias vezes depois da posse do novo governo.  No artigo anterior “Passadas as eleições, o que podemos esperar da economia?”, construí dois cenários para a economia brasileira. Agora está na hora de aumentar as apostas em um dos cenários. Quer saber qual? Continue comigo. 

O Brasil está passando por sua mais longa e profunda recessão econômica e todos estamos sentindo seus efeitos. No entanto, esta situação não vai durar para sempre e, por isso, devemos nos preparar para surfar nas ondas futuras de desenvolvimento, quando aparecerem. Por diversas razões que mostrarei nessa nossa conversa, acredito que vamos retomar o caminho do desenvolvimento.
 
Para termos uma ideia do que poderá acontecer com a economia do Brasil, temos que “garimpar” sinais positivos no meio dessa confusão de informações que se instalou no país depois da mudança do governo. Este é o processo de planejamento: captar sinais do ambiente que nos indiquem os caminhos mais prováveis.
 
Observem bem, eu disse mais prováveis.Para interpretar os sinais e percebermos sua importância no processo, precisamos de um modelo que nos possibilite a avaliação de seus efeitos e consequências. Felizmente a ciência política tem estudado durante muito tempo o processo de desenvolvimento de países e temos a nossa disposição vários modelos que mostram os caminhos seguidos e os fatores que foram importantes.
 
São modelos de crescimento econômico de nações que foram estudados e confirmados na prática. Nessa nossa conversa vamos analisá-los com visão científica e de forma isenta de qualquer ideologia.
 
Lembrei-me de um livro, publicado em 2001 que discute os caminhos de criação de riqueza numa economia baseada em conhecimento (Lester C. Thurow, A Construção da Riqueza As novas regras para indivíduos, empresas e nações numa economia baseada no conhecimento, Ed. Rocco, 2001). É claro que em 2001 o autor exemplificava com a revolução tecnológica 3.0. Com muito mais razão, suas análises permanecem válidas na economia tecnológica 4.0 que estamos vivenciando.
 
No fim dessa conversa, vou fazer alguns comentários sobre o livro e o autor. Para construir seu raciocínio sobre os caminhos da criação de riqueza, o autor criou um modelo utilizando, de forma muito criativa, a pirâmide da riqueza que aparece no verso da cédula de US$ 1,00. Acredito que poucos tenham prestado a atenção nas figuras que ilustram o verso desta cédula. Observem a figura abaixo.

Verso nota dolar

No destaque são mostradas as duas figuras principais: uma pirâmide incompleta, encimada por um olho brilhante, e uma águia com diversos símbolos. Se quiser, uma pesquisa na internet vai lhe mostrar o significado de cada um desses símbolos.
 
Aqui vamos discutir o modelo de desenvolvimento criado por Lester C. Thurow com base na pirâmide acima, que tem uma história interessante.Quando ocorreu a quebra da Bolsa de Nova York em 1929 a depressão e pessimismo tomaram conta da economia americana e, por consequência, da economia mundial. Para criar um pouco de otimismo nos americanos, submetidos à Grande Depressão (nome que passou para a história), o presidente Roosevelt em 1935 mandou imprimir na nota de 1 dólar uma pirâmide para representar força econômica e solidez.
 
Está inacabada para simbolizar a busca de um contínuo crescimento da riqueza americana. Por trás do olho brilhante, que simboliza a orientação divina, temos este topo que representa a riqueza a ser construída.Duas expressões latinas completam a pirâmide com mensagens de incentivo: “Annuit coeptis” (tradução: favoreça nossas empresas”), “Novus ordo seclorum” (tradução: Nova Ordem Mundial”).
 
Tanto a pirâmide como a águia com as flechas fazem parte do grande símbolo dos EUA, criado pelo Congresso em 1782 justamente homenageando as 13 colônias que deram origem ao país. Se quiser conhecer todos os símbolos impressos nessa cédula e suas interpretações, acesse o link: https://incrivel.club/admiracao-curiosidades/aprenda-os-significados-de-10-sinais-ocultos-nas-notas-de-1-dolar-358260/.
 
A figura abaixo mostra o modelo de criação de riqueza de uma nação na representação construída pelo autor. Observe que a ordem dos elementos é importante porque cada nível se torna a base para o nível seguinte.

Piramide nota dolar

 

O primeiro elemento base do modelo é a organização social inclusiva, ou seja, uma sociedade que permite que todas as pessoas possam desenvolver suas aptidões e participar livremente do processo político, com igualdade de direitos e deveres. A sociedade brasileira não é totalmente inclusiva porque alguns grupos corporativos conseguem obter do Estado benefícios maiores do que a maioria da população.
 
A reforma da previdência em gestação no Governo Federal poderá amenizar um pouco essa situação. Por isso, é considerada fundamental para a retomada do crescimento econômico, permitindo um maior equilíbrio nas contas públicas. Com as contas públicas ajustadas e demais reformas necessárias em andamento, as pessoas e empresas se sentirão mais confiantes para investirem. Isso desperta o “espírito animal” dos empreendedores.
 
Depois de um longo período de hibernação, existe muita energia empreendedora acumulada apenas esperando um clima favorável para se transformar em ações.  Da mesma forma, com confiança no ambiente econômico e aumento dos investimentos públicos, os agentes privados voltarão a investir em seus negócios e na busca de inovações. As pessoas também se animarão e um ciclo virtuoso se estabelecerá na busca de maior preparação profissional e aquisição de habilidades de trabalho.
 
Os dois degraus superiores do modelo de riqueza são razoavelmente bem disponibilizados na economia brasileira. No caso das instalações fabris, nosso parque industrial tem capacidade ociosa, o que facilita a retomada de um nível maior de produção. No caso da infraestrutura, com todas as falhas que conhecemos, se transforma numa oportunidade porque a realização dos investimentos necessários criará grande número de empregos e aumento em todas as atividades econômicas.
 
O degrau superior de recursos naturais e sustentabilidade é bem estabelecido no Brasil. Somos bem providos de recursos naturais e a preocupação com a sustentabilidade não é novidade na cultura da sociedade. Grande parte da população acredita que, por termos tantos recursos naturais, teríamos que ser um país rico. A história da humanidade não mostra isso. Japão e Coreia não têm tantos recursos naturais e vários países com abundância desses recursos não atingiram o grau de desenvolvimento. A Venezuela é um bom exemplo de muitos recursos e baixo desenvolvimento.
 
Com base nesse modelo, temos que procurar no ambiente os sinais que indiquem o estabelecimento de um estado de confiança dos agentes econômicos porque, dessa forma, estaremos iniciando um ciclo virtuoso de crescimento como é apresentado na figura abaixo.
 

Ciclo virtuoso

 

E agora, que sinais podemos identificar no ambiente? 
 
Primeiro preciso fazer um alerta. Como são sinais e não fatos concretos, a percepção de sua importância é muito subjetiva e pode ser influenciada por algum viés político-ideológico do analista. Ou seja, um sinal que tem importância para mim, pode não ter a mesma para você, o que significa que não vai concordar com meu cenário.
 
No entanto, seguindo o modelo de raciocínio, você pode criar seu próprio cenário.Observe no modelo de Lester Thurow que a base fundamental de desenvolvimento é a organização social inclusiva porque cria um ambiente onde as pessoas se sentem confiantes em utilizar sua energia e seu dinheiro para o desenvolvimento de atividades econômicas. 
 
Quais são os sinais que eu estou vendo?
 
1. Política monetária pelo Banco Central para manutenção da inflação sob controle e juro básico baixo;
 
2. Nítida orientação liberal para a economia, com muitos planos de privatizações e parcerias público privadas para obras de infraestrutura;
 
3. Reforma da previdência com objetivo de criar regras para sustentabilidade futura e redução do déficit público;
 
4. Consciência da necessidade de reformas nos estados e municípios para controle fiscal e adequação de gastos;
 
5. Nítida orientação conservadora nas direções da Câmara e do Senado, o que pode facilitar a tramitação das reformas;
 
6. Um clima mais receptivo na sociedade para as reformas, uma vez que não há mais “discurso fácil” que possa encobrir as dificuldades da economia. 
 
Como saberemos se as expectativas positivas poderão se confirmar?
 
Você tem que acompanhar o noticiário, principalmente os comentários publicados na imprensa especializada. Ver noticiários de TV não ajuda muito. 
 
De qualquer forma, acredito que a maioria dos agentes que analisam o ambiente econômico têm, mais ou menos, as mesmas percepções. Isso pode ser visto em pesquisas de grau de otimismo dos empresários, em entrevistas de empresas que planejam investimentos, grupos que se preparam para participarem dos leilões de privatizações e, tudo isso refletido num grau de otimismo na Bolsa de Valores, que é um termômetro da economia.
 
Mas não espere uma mudança rápida de direção. A economia de um país pode ser comparada a um navio transatlântico muito grande e não tem a agilidade de uma lancha pequena. Qualquer curva tem que ser feita devagar e com muito cuidado. 
 
O autor do modelo 
 
Sobre o modelo utilizado:O autor Lester Carl Thurow (falecido em 2016) era um economista político americano, ex-reitor da MIT Sloan School of Management e autor de livros sobre temas econômicos. Recomendo os dois livros abaixo que podem ser encontrados no original em inglês. Infelizmente as traduções estão esgotadas.

Livros Lester


Imprimir  

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar